sábado, 29 de novembro de 2014

Com dores de garganta??



E porque está a começar o frio, e começam as dores de garganta aqui vai um chá para ajudar a aliviar!

Chá para aliviar as dores de garganta:

Do que precisam:
- Frasco de vidro com tampa
- 1 limão, cortado
- Mel puro
- Gengibre em fatias
- água a ferver

Num frasco de vidro, misturem as fatias de limão e gengibre cortadas muito fininhas até 1/3 do frasco, deitem um pouco de água a ferver até tapar as fatias de limão e gengibre, depois deitem o mel até ao topo do frasco.
Fechem o recipiente e coloquem no frigorífico.

Para usarem só têm que deitar uma colher de chá deste preparado numa chávena e despejem água a ferver sobre ele.
Podem guardar o preparado no frigorífico 2-3 meses.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Bebem café de manhã?

São daqueles para quem o dia apenas começa depois de beber café? Sim?
Cuidado, porque os efeitos que esperam poderão nem sequer chegar! A investigação chega-nos dos Estados Unidos e está relacionada com a produção das hormonas que controlam os ciclos de sono. O responsável pela pesquisa diz que há uma hora certa para tomar a 'bica'.

O seu dia começa inevitavelmente com uma chávena de café? Pois bem, segundo um estudo recente, realizado nos Estados Unidos, há uma hora certa para o tomar, caso queira beneficiar dos efeitos da cafeína.


Steven Miller, o responsável pelo estudo, um doutorando em ciências da saúde da Universidade de Bethesda, estudou o ciclo circadiano, ou seja, a produção hormonal durante 24 horas, ‘o nosso guia’ para ditar a chegada do sono.

Miller descobriu que o cortisol, uma das hormonas que controla este ciclo e que nos faz sentir alerta, tem o seu pico de produção entre as oito e nove da manhã. Tomar cafeína neste período, diz o investigador, tem pouco impacto, porque o nosso corpo já está a produzir substâncias que nos deixam alerta. O cortisol diminui a eficácia da cafeína, e o café não tem efeito cumulativo.

Segundo Miller, o melhor para usufruir de todos os benefícios do café é coordenar a ingestão deste com a produção de cortisol, ou seja, entre 9h30h e 11h30, 13h30 e 17h, 19h e 21h e 0h e 1h, mais ou menos.
Fonte: noticias ao minuto


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

COMER FRUTA E LEGUMES TODOS OS DIAS AJUDA A SER MAIS FELIZ

Um estudo divulgado esta quarta-feira pela Universidade de Queensland revela que comer umas dez porções de fruta e legumes todos os dias ajuda a melhorar a saúde física e mental e aumenta o sentimento de felicidade.
O cientista Redzo Mujcic disse à estação local ABC que o seu estudo comparou as escolhas feitas por cerca de 12.000 pessoas no consumo de frutas e verduras com os níveis de satisfação, stress, vitalidade e outros indicadores da saúde mental.
“Comer umas cinco frutas e legumes (por dia) faz-te mais feliz”, comentou Mujdical ao referir-se aos pontos analisados.
Além disso indicou que os efeitos positivos de uma maior quantidade de frutas e legumes são mais fortes nas mulheres, embora se desconheçam as razões para essa maior influência.
Mujdic considerou que se a saúde mental está realmente ligada à ingestão e frutas e legumes, os responsáveis pelo desenvolvimento das políticas governamentais deveriam promover um maior consumo destes alimentos.

Fonte: http://lifestyle.sapo.pt

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Caminhadas são "comprimido" contra várias doenças

Caminhar 30 minutos por dia ajuda a prevenir inúmeras doenças relacionadas com o envelhecimento, desde a diabetes tipo 2, a certos tipos de cancro, passando por doenças do foro psiquiátrico como a depressão, defendeu esta semana um investigador britânico no evento British Science Festival, que decorreu em Birmingham.
Fazer caminhadas de pelo menos 30 minutos por dia é um exercício simples mas que funciona de forma quase “milagrosa” ajudando a prevenir o envelhecimento precoce e várias doenças, disse no encontro o médico James Brown, da School of Life and Health Sciences da Universidade de Aston (Reino Unido).
Além de prevenir a diabetes tipo 2, certos tipos de cancro e problemas como a ansiedade ou a depressão, James Brown revela que este exercício diário ajuda a reduzir em 40% determinadas lesões, como as fraturas de anca.

Segundo avança a imprensa britânica, o especialista defendeu ainda que as caminhadas diárias podem evitar a progressão da doença de Alzheimer e reforçar as funções cognitivas, além de reduzirem as dores provocadas pela artrite e de diminuirem em 23% o risco de morte.

"Comprimido mágico"

“Estes benefícios não se verificam nas pessoas que praticam exercício intensivo, como correr em maratonas ou fazer levantamento de pesos, verificam-se nas pessoas que caminham todos os dias", afirmou James Brown no encontro de cientistas e investigadores, referindo-se às caminhadas como "um comprimido mágico" mais eficaz do que qualquer medicamento.

O médico salientou os riscos de permanecer sedentário durante um longo período de tempo, sublinhando que isso pode levar a uma perda de massa muscular que nunca poderá ser recuperada. Brown avisa que esta situação, normalmente, reforça a inatividade pelo que deve ser prevenida.

Para ilustrar este caso, Brown apresentou os resultados de um estudo que comparou a recuperação de fraturas na perna em dois grupos: um com participantes jovens e outro grupo com participantes mais idosos.
Durante o tempo que estiveram com a perna imobilizada, os jovens perderam mais massa muscular (já que tinham mais músculo) mas recuperaram essa mesma massa muito mais rapidamente do que o grupo de participantes idosos, que ao fim de oito semanas ainda não tinha voltado à forma original.
Esta perda de massa, defende o especialista, pode levar as pessoas mais velhas a tornarem-se cada vez mais dependentes, além de poder conduzir a uma condição conhecida como “sarcopenia” que implica uma perda acentuada da força muscular. 

Fontehttp://boasnoticias.pt/

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Flavonóides do chocolate protegem a pele das agressões. Mas só 20 gramas por dia!

Comer chocolate todos os dias protege a pele do sol

Flavonóides do chocolate protegem a pele das agressões do sol

Cientistas norte-americanos concluíram que o consumo diário de cerca de 20 gramas de chocolate pode tornar as pessoas mais resistentes aos efeitos das radiações ultravioletas. 

"A nossa investigação demonstrou que o regular consumo de chocolate rico em flavonóides confere uma fotoproteção significativa e que pode ser efetiva na proteção da pele humana contra os efeitos ultravioletas", refere a investigação do National Institutes of Health.

estudo assevera que o chocolate negro é o que concentra o maior nível de flavonóides, de acordo com a Associação dos Industriais de Chocolates e Confeitaria.

Porém, os grãos de cacau perdem, durante o processo produtivo, uma parte significativa da capacidade antioxidante garantida pelos flavonóides. "O chocolate convencional não tem esse efeito", assegura o NIH.

Foram constituídos dois grupos, de 15 pessoas cada um. Um dos grupos consumiu chocolate rico em flavonóides durante 12 semanas, todos os dias, enquanto o outro ingeriu chocolate com baixo nível de flavonóides.

O grupo que ingeriu uma alta dose de flavonóides duplicou a proteção face aos raios ultravioletas, enquanto o outro grupo manteve os níveis que tinha no início do estudo.

Fonte: SAPO Saúde 

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Um em cada três casos de Alzheimer podia ser evitado com mudança do estilo de vida

Um em três casos de Alzheimer no mundo podia ser evitado, adianta um estudo da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. 

Num 
artigo publicado na revista The Lancet Neurology, a equipa de cientistas britânicos analisou os sete principais fatores de risco para desenvolver a doença, a partir do levantamento de dados junto dos departamentos médicos.

Diabetes, hipertensão na meia-idade, obesidade na meia-idade, sedentarismo, depressão, tabaco e baixo nível de instrução foram enumerados como os fatores de risco mais relevantes.

Por isso, e segundo os cientistas, um terço dos casos de Alzheimer estão ligados a fatores ligados ao estilo de vida dos pacientes, que podem ser modificados, como a falta de exercício e o tabagismo.


Os investigadores concluíram que ao reduzir cada fator de risco em 10%, poderiam ser evitados quase nove milhões de casos da doença até 2050.

As estimativas atuais sugerem que mais de 106 milhões de pessoas vão ter Alzheimer em 2050, um valor três vezes acima o número de pessoas afetadas em 2010.

"Apesar de não haver uma única forma de tratar a demência, nós podemos tomar medidas para reduzir o risco de demência durante a velhice", comenta Carol Brayne, do Instituto de Saúde Pública da Universidade de Cambridge, citada pela BBC.

Entre os sete fatores de risco, a maior proporção de casos de Alzheimer nos Estados Unidos, Reino Unido e no resto da Europa pode ser atribuída à inatividade física. Segundo o estudo, um terço da população adulta destes países não pratica atividades físicas.

Fonte: SAPO Saúde

segunda-feira, 30 de junho de 2014

PASSATEMPO: Verão com BioActivo LipoExit Xtra


PASSATEMPO de Verão!! 

O calor parece que finalmente vai chegar e nós queremos dar uma ajudinha para se sentirem em forma para o Verão!!

Temos 3 embalagens de BioActivo LipoExit Xtra da Pharma Nord para oferecer!!

BioActivo LipoExit Xtra é uma fórmula reforçada com alcachofra. Combina 5 ingredientes-chave num só comprimido, que apoia o controlo do peso e a desintoxicação: FibrePrecise, Ascorbit, Pectinas, ChromoPrecise, Extrato de alcachofra.

É muito fácil… basta participar e tentar a sorte. Temos 3 embalagens para oferecer!

Regras do passatempo:
1. “Gostar” da página da Enetural no facebook (http://www.facebook.com/enetural.pt).
2. Comentar esta imagem do Passatempo, identificando 3 amigos (têm de escrever “@nome do amigo” para que este seja notificado).
3. Partilhar esta imagem do Passatempo (de forma publica) no vosso mural.

Têm até às 11h de dia 4 de Julho (6ªfeira) para o fazer.
Os 3 vencedores serão escolhidos aleatoriamente (random.org), de entre as pessoas que tenham seguido todos os passos.
Os vencedores serão divulgados no dia 4 de Julho, no fim do dia.

Para ficarem a conhecer melhor o produto, vejam-no na nossa loja online: http://www.enetural.com/pt/emagrecimento/bioactivo-lipoexit-xtra_7389593prd/ 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sardinhas para as mulheres grávidas

Durante a gravidez, a necessidade de mais nutrientes é maior.

As mulheres grávidas devem, portanto, fazer o mais possível para garantir uma dieta variada.

De acordo com os nutricionistas, as sardinhas representam uma excelente fonte de cálcio, vitamina D e ferro, três nutrientes essenciais para a saúde da mãe e do feto.

Além disso, o elevado conteúdo de ómega-3 e de ácidos gordos presentes nas sardinhas permite o desenvolvimento neurológico do feto.

Se somarmos a isso o seu elevado teor de proteínas, obtém-se um excelente alimento para comer durante a gravidez.

Papaia: a fruta tropical que ajuda a combater o cancro!


Muito consumida em Portugal, a papaia é uma fruta tropical rica numa enzima utilizada há vários anos pela Naturopatia, a papaína. A eficácia das enzimas proteolíticas como a papaína foi alvo de uma revisão publicada em 2008 no Integrative Cancer Therapy.
Depois de analisar dezenas de estudos, esta revisão concluiu que a papaína e outras enzimas (tripsinam bromelaína) reduzem os efeitos secundários dos tratamentos químicos em pacientes com cancro da mama e coloretal.
Além de aumentarem a taxa de resposta ao tratamento, estas enzimas potenciam a duração das remissões e a sobrevivência média. O princípio ativo é a papaína, uma enzima de acção imunoestimulante, que tem a particularidade de ser anti-inflamatória, anti-infeciosa e antitumoral (antimetástases).
Propriedades:
  • Como fruta, a papaia estimula a digestão, podendo ser consumida no final de refeições mais pesadas e com mais gorduras.
  • É utilizada para reduzir a celulite.
  • As sementes são eficazes contra parasitas intestinais.
  • Em enzimoterapia, a papaína é utilizada como um anti-inflamatório rápido em tendinites, entorses, bursites, epicondilites e dores na coluna.
  • É, também, um coadjuvante da quimio e radioterapia em pacientes oncológicos, reduzindo os efeitos secundários dos tratamentos químicos (náuseas, vómitos, problemas digestivos, fadiga, perda de peso e/ou cansaço), aumentando a qualidade de vida.
  • Consumida fermentada, utiliza-se na prevenção do envelhecimento geral, sendo muito utilizada em doenças neurológicas como Parkinson e Alzheimer.
  • É imunoestimulante, podendo atuar como antiviral e anticancerígeno.

     O fruto pode ser consumido diariamente com moderação. Como terapia enzimática, a dose diária recomendada varia entre 200 e 1.000 mg, consoante a gravidade dos casos, sempre uma hora antes das refeições.
    Caso seja administrada durante as refeições, a única acção que se mantêm é a digestiva.
    Utiliza-se em associação com a enzima do ananás (bromelaína) e com a rutina em fórmulas enzimáticas disponíveis em farmácias e dietéticas.
    A papaia fermentada tem uma dose diária recomendada de 3 a 9 g, 10 minutos antes das refeições.
    Remédios caseiros:
    - Pequeno almoço anti-obstipação
    Faça uma taça com cereais integrais e sementes de papaia. Junte leite de soja.
    - Cataplasma para a acne
    Depois de fazer uma pasta, aplique a papaia directamente na face, fazendo uma máscara. Aguarde 30 minutos e retire. Para terminar, passe um gel de aloé vera com tea tree (óleo de árvore-do-chá).
Fonte: Revista Prevenir 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Um peixe gordo que previne doenças cardiovasculares e não só!

Muito apreciada pelos portugueses, a sardinha é um peixe gordo, saudável e nutritivo, rico em proteína e ómega-3, sendo também uma importante fonte de cálcio.
Selénio, fósforo e vitamina D são outros dos nutrientes que também encontra neste peixe, que além de reduzir o risco de doenças cardiovasculares e de Alzheimer, também ajuda a combater a depressão.
Alguns estudos internacionais apontam uma relação entre o consumo de peixes gordos como a sardinha e a diminuição da incidência de artrite em pessoas que sofrem desta patologia. A American Heart Association (AHA) recomenda mesmo a ingestão deste tipo de alimento pelo menos duas vezes por semana. A sardinha, que se distingue ainda pelo seu teor de vitaminas do complexo B, é uma excelente fonte de ácido eicosapentaenóico (EPA) e de ácido docosahexanóico (DHA), dois ácidos gordos da família dos ómega-3.
Estas substâncias promovem o bom funcionamento do sistema imunológico, do sistema circulatório e dos sistemas hormonais. Vários estudos clínicos e epidemiológicos demonstraram que o consumo de ómega-3 oriundos de peixes gordos exercem efeitos benéficos sobre a saúde cardiovascular, contribuindo para uma redução da mortalidade por doenças cardiovasculares, uma vez que reduzem a pressão sanguínea, tal como a presença de triglicéridos no sangue e a formação de coágulos sanguíneos, reduzindo assim o risco de aterosclerose.
Uma porção de 100 g de sardinhas fornece cerca de 1 g de ómega-3, sendo a sardinha um dos seis peixes mais ricos em EPA e DHA, juntamente com a truta, a cavala, o atum, o arenque e o salmão. O conteúdo lipídico e de ómega-3 varia, contudo, consoante a época. A sardinha é mais rica em lípidos no verão do que no inverno, daí ser sobretudo consumida em Portugal nos meses de maior calor e tradicionalmente associada aos festejos dos Santos Populares.
Além de ácidos gordos, este peixe representa uma importante fonte de proteínas completas, porque contém os nove aminoácidos essenciais de que o organismo necessita. Os resultados de um estudo internacional mostraram que o consumo desta proteína aumentou a fibrinólise, além de prolongar o tempo de coagulação do sangue. Estes dois efeitos complementares podem ser benéficos para os indivíduos em risco de trombose. O fósforo presente na sardinha também ajuda a manter ossos e dentes saudáveis.
A par de vitamina B3 e de selénio, que combate os radicais livres, a sardinha é também uma fonte de ferro a ter em conta, sobretudo para as mulheres, que têm uma necessidade específica diferente da do homem no que se refere a este mineral, necessário para o transporte de oxigénio e para a formação de células vermelhas do sangue. Também desempenha um papel na produção de novas células, hormonas e neurotransmissores, mensageiros em impulsos nervosos.
A sardinha é ainda uma boa fonte de zinco para as mulheres, bem como de cobre, necessário para a formação de hemoglobina e de colagénio, substância utilizada para a estrutura da proteína e para a reparação de tecidos no corpo. Algumas das enzimas que contêm cobre também contribuem para a defesa do organismo contra os radicais livres, retardando os efeitos do envelhecimento.
Em termos práticos e objetivos, o seu valor nutritivo é inegável. 100 g de sardinhas contêm, em média, cerca de 208 kcal, cerca de 24,6 g de proteínas e 11,5 g de gordura, sendo dessa 1,5 g de gordura saturada, cerca de 3,9 g de gordura monoinsaturada, cerca de 5,2 g de gordura polinsaturada e 142 mg de colesterol, o que exige todavia alguma moderação no que se refere ao seu consumo.

Fonte: Revista Prevenir

terça-feira, 17 de junho de 2014

Sabem porque devem comer sempre ovos?



De acordo com o British Medical Journal, os ovos devem fazer parte da nossa alimentação diária, de forma moderada, não sendo uma má influência à nossa saúde.

 Propícia bebés mais saudáveis
Alimentos rico em vitamina B diminuem os riscos de desordens mentais em crianças, sendo fulcral no desenvolvimento do cérebro dos bebés. Logo, as grávidas devem consumir este alimento para prevenir o aparecimento de doenças como Síndroma de Down.

São bons aliados para controlar o apetite
Se anda preocupado com a sua alimentação, comer ovos no início do dia ajuda-o a combater a gula que costuma sentir ao final do dia. A proteína de alta qualidade presente neste alimento ajuda a criar uma maior saciedade, que dura todo o dia.

Melhoram os seus reflexos
O aminoácido é uma das caracterisiticas do ovo que ajuda a reagir mais rápido, a dar respostas automáticas, tomando consequentemente decisões mais rápidas.

Reduzem o risco de cancro
O factor antioxidante do ovo, ajuda a reduzir o risco de cancro e doenças do coração. Embora na cozedura se reduzam um pouco esses valores, o ovo continua a ser um alimento rico nesta propriedade.

Ajuda a baixar a tensão arterial
A proteína do ovo reduz a tensão arterial, funcionando como um medicamento para a hipertensão.

Fonte: http://visao.sapo.pt    

E sabem verificar se um ovo está bom?



quarta-feira, 11 de junho de 2014

Estudo revela que comer peixe aumenta esperança de vida dos mais idosos



Investigadores da Universidade de Harvard e da Universidade do Estado de Washington revelam que as pessoas com mais de 65 anos que tenham altos níveis de ómega-3 no sangue vivem em média mais 2,2 anos. 


Os cientistas provaram que o consumo regular de peixe, rico neste ácido gordo, pode reduzir cerca de 35 por cento o risco de mortalidade no caso de doenças cardiovasculares.


O estudo foi divulgado na edição digital da revista  Annals of Internal Medicine.


Para clarificar os efeitos do ácido gordo na saúde, foram analisados biomarcadores no sangue ao longo de 16 anos de estatísticas, relativas a cerca de 2.700  pessoas nos Estados Unidos com mais de 65 anos.


Darius Mozaffaris,  professor adjunto de epidemiologia na faculdade de saúde pública da Universidade  de Harvard e coautor do estudo afirma que "O consumo de peixes ricos em ácido gordo é considerado há muito tempo  uma alimentação saudável, mas havia pouca investigação para avaliar os efeitos  benéficos do ómega 3 na saúde de adultos mais velhos".


 "Os resultados desta investigação confirmam a importância de níveis  adequados de ómega-3 no sangue para a saúde cardiovascular e sugerem que,  mais tarde, esses benefícios podem aumentar o número de anos de vida", adiantou  o investigador, citado pela agência France Presse. 


Fonte: Lusa

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Pistácios são arma secreta contra a diabetes 2



As pessoas pré-diabéticas, que correm o risco de desenvolver diabetes tipo 2, podem evitar a doença através do consumo de 57 gramas de pistácios por dia, revela um novo estudo.

A investigação, realizada por investigadores da Universidade Rovira i Virgili, em Espanha, verificou que os pistácios podem ajudar a prevenir diabetes em indivíduos em risco de desenvolver a doença.

Para chegar a esta conclusão, a equipa testou um grupo de 54 pessoas diagnosticadas como sendo pré-diabéticas. Durante oito meses, os participantes consumiram uma média de 57 (cerca de 60 nozes) gramas de pistácios por dia.

Embora não se tenham verificado alterações ao nível do peso, os testes sanguíneos revelaram que os níveis de glucose e de insulina no sangue, bem como o colesterol “mau” (ou seja, o LDL), tinham descido de forma significativa. Estes são os indicadores que interessa reduzir quando se pretende prevenir a diabetes tipo 2.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Ameixas secas ajudam a perder peso!

 O consumo de ameixas secas pode ser um aliado eficaz durante dietas de controlo de peso, ajudando ao emagrecimento.

A conclusão é de um estudo realizado por investigadores britânicos que vem contrariar teorias anteriores que apontam para o facto de a fruta seca não ser recomendada para quem quer emagrecer embora aumente a sensação de saciedade.


Os investigadores do Instituto de Psicologia, Saúde e Sociedade da Universidade de Liverpool, em Inglaterra, reuniram 100 indivíduos com obesidade ou excesso de peso e com dietas pobres em fibras e estudaram os efeitos da introdução de ameixas secas no regime alimentar dos mesmos durante mais de 12 semanas para apurar se estas contribuíam ou prejudicavam a o controlo do peso. 

Além disso, a equipa procurou analisar se estes indivíduos conseguiam tolerar a ingestão substancial de ameixas secas e se a introdução desta fruta na dieta apresentava efeitos benéficos ao nível do apetite.

Para levar a cabo esta análise, os voluntários foram divididos em dois grupos - os elementos do primeiro grupo consumiram ameixas secas todos os dias (140 gramas no caso das mulheres, 171 gramas no caso dos homens) e os do segundo grupo receberam apenas conselhos acerca de aperitivos saudáveis que poderiam introduzir no regime alimentar no decurso da dieta. 

Os especialistas, cujo estudo foi recentemente apresentado no Congresso Europeu da Obesidade em Sófia, na Bulgária, concluíram que aqueles que comeram ameixas, introduzindo-as num regime alimentar saudável, perderam 2 quilos de peso e 2,5 centímetros de cintura. 

Pelo contrário, os elementos do grupo de controlo perderam somente 1,5 quilos de peso e 1,7 centímetros de cintura. Os indivíduos do grupo das ameixas experienciaram ainda uma maior perda de peso durante as últimas quatro semanas do estudo, revelando maiores sentimentos de saciedade após a oitava semana e tolerando bem a introdução desta fruta seca na alimentação. 

"Este é o primeiro estudo a demonstrar, simultaneamente, perda de peso e ausência de efeitos secundários negativos em resultado do consumo de ameixas secas no âmbito de uma dieta de controlo de peso", afirma Jo Harrold, responsável pela coordenação do estudo, em comunicado divulgado pela universidade.

"Com efeito, a longo-prazo, esta fruta pode ser benéfica para quem está a fazer dieta, 'atacando' a fome e satisfazendo o apetite, um grande desafio enfrentado por quem está a tentar perder peso", acrescenta. 

Segundo Jason Halford, professor daquela instituição universitária britânica também envolvido na investigação, "manter uma dieta saudável é desafiante" e, "a par da fruta fresca e dos vegetais, a fruta seca pode constituir-se como um elemento adicional útil e conveniente para a dieta, em especial para controlo do apetite". 

terça-feira, 20 de maio de 2014

Mais uma NOVIDADE: L-Carnitina OnFire GoldNutrition!!

 L-Carnitina On Fire Gold Nutrition

Da Gold Nutrition, o mais recente lançamento: L-CARNITINA ON FIRE!

A GoldNutrition® acaba de lançar duas fórmulas inovadoras de L-Carnitina termogénica – as novas ONFIRE, disponíveis em versão Man e Woman.

Com 3g de L-Carnitina líquida da melhor qualidade - pura e super concentrada, para o máximo poder de acção e absorção - e uma combinação específica de ingredientes, de acordo com as especificidades de cada metabolismo.

Com L-Carnitina ONFIRE GoldNutrition® os benefícios da prática de actividade física são promovidos ao máximo!
Sabores: Man – Pêssego | Woman – Cereja

Suplemento nutricional indicado para: 
- Diminuição da gordura corporal;
- Estimular o metabolismo;
- Aumentar a definição muscular;
- Aumentar a performance em modalidades de endurance, por aumento do VO2 max;
- Facilitar a recuperação após o exercício;
- Prevenção da fadiga muscular crónica.

 L-Carnitina On Fire Man Gold Nutrition:
Shots com 3g de L-Carnitina+Guaraná+Cafeína+Colina+CoQ10+Rhodiola rosea! Ajuda a diminuir a gordura, a estimular o metabolismo, a aumentar a definição muscular e a performance, a facilitar a recuperação e a prevenir a fadiga! Para homens que se preocupam com o seu corpo!

L-Carnitina OnFire Woman Gold Nutrition:
Shots com 3g de L-Carnitina + Chá Verde + Guaraná + Cafeína + Colina + Garcinia Cambogia + Ácido Hidroxicítrico + Galega officinalis! Ajuda a diminuir a gordura, a estimular o metabolismo, a aumentar a performance, a prevenir a fadiga e a controlar o apetite. Para mulheres que se preocupam com o seu corpo!


 L-Carnitina On Fire Gold Nutrition

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Estudo revela que dieta mediterrânica e vinho reduzem risco de doença mortal

Azeite virgem extra também reduz risco de doenças cardiovasculares em pessoas com risco alto.


 O consumo de vinho reduz o risco de mortalidade e o azeite virgem extra baixa a possibilidade de ocorrência de acidentes cardiovasculares, revela duas pesquisas da Universidade de Barcelona, no âmbito da dieta mediterrânica.

O primeiro estudo, realizado pelo Grupo de Investigação de Antioxidantes Naturais da Faculdade de Farmácia da Universidade de Barcelona, incidiu particularmente sobre alimentos com polifenol, substâncias caracterizadas por terem um ou mais hidroxilas ligadas a um anel aromático, contidas no vinho e sementes.

Com a participação de investigadores da Universidade Rovira i Vergili, de Tarragona, o grupo de trabalho realizou uma segunda pesquisa, em pessoas com idades entre 55 e 80 anos, demonstrando que o consumo de azeite virgem extra reduz o risco de doenças cardiovasculares em pessoas com um risco alto.

A investigação concluiu que uma dieta rica em polifenol permite uma redução significativa na mortalidade com qualquer causa, não só devida a enfermidades cardiovasculares.

Fonte: Lusa

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Já ouviram falar na Doença Celíaca?

Doença Celíaca é "subdiagnosticada" em Portugal, há quase 100 mil doentes "anónimos”.
Portugal estão apenas diagnosticados 10 mil indivíduos com a doença

A Doença Celíaca, caracterizada pela "intolerância" ao glúten, afeta entre 1 e 3% da população portuguesa, mas existem "apenas" 10 mil casos referenciados, pelo que especialistas consideram que a patologia é subdiagnostiacada, existindo cerca de 100 mil celíacos "anónimos".

Em declarações à agência Lusa a propósito da 2ª reunião nacional da Doença Celíaca, a realizar sábado, em Braga, a organizadora do evento e médica, Henedina Antunes, explicou que "ainda não é fácil" o dia-a-dia de um celíaco principalmente porque "muitas vezes o é sem saber".

Com origens que remontam ao século II, com a introdução massiva de cereais (que contém glúten) na alimentação, a Doença Celíaca (DC) é uma doença autoimune, que afeta indivíduos com predisposição genética, causada pela permanente sensibilidade ao glúten que, ao ser ingerido, provoca lesões na mucosa do intestino e origina uma diminuição da capacidade de absorção dos nutrientes.

"Em Portugal existe apenas um estudo sobre a DC. Foi feito aqui em Braga e apontou para uma prevalência da patologia em uma entre 134 pessoas. Ou seja, estima-se que entre 1 e 3% de portugueses sejam celíacos", explicou Henedina Antunes, também autora do referido estudo.

Apesar dos cálculos, em Portugal "apenas estão diagnosticados 10 mil indivíduos", sinal de que esta é uma doença "subdiagnosticada" ainda hoje.

"A verdade é que podem existir até cerca de 100 mil celíacos anónimos. Isto tem consequências na saúde destes indivíduos e afeta-os, seguramente, no bem-estar", alertou.

Por isso, a especialista defende que "aos primeiros sinais deve ser feito o rastreio", exame que, disse, "nem é muito dispendioso, mas pode traduzir-se numa melhoria enorme na qualidade de vida" dos doentes.

"Há mulheres a quem só é diagnosticada a DC quando querem engravidar e não conseguem. É um exemplo de como se pode chegar à idade adulta sem que seja apontado o problema embora, indiscutivelmente, tenha havido sinais de alarme ao longo da vida", contou.

Os sintomas da DC são "na forma típica, que afeta as crianças, diarreias crónicas, distensão abdominal, vómitos, atrasos no crescimento", na "forma atípica, em adultos, anemia, aftas, dores ósseas, caibras, alterações dermatológicas".

A DC, embora não seja uma doença "potencialmente fatal", pode levar à morte porque, explicou Henedina Antunes, "a proibição de ingerir glúten é vitalícia" já que "não há cura" para a patologia.

"Muitos alimentos têm glúten e as pessoas não o sabem. Todos os derivados de trigo, cevada, centeio e aveia como pão, torradas, bolachas, massas, bolos, cerveja, entre outros. Daí esta ser uma doença associada a áreas indo-europeias onde aqueles prevalecem na alimentação. Mas já há casos de DC em países como a China, efeitos da globalização alimentar", disse.

Segundo esta especialista, "apesar das restrições não é impossível conviver com esta doença, embora ainda hoje seja difícil", até porque, referiu, "a oferta, apesar de ter crescido nos últimos 10 anos, não é muita e, em regra, estes alimentos preparados sem glúten são mais caros".

Além disso, não estão disponíveis em "qualquer" sítio.

"Um celíaco vai a um café em Portugal e está muito limitado. Não tem que ser assim. É preciso haver um pressing para que seja usual e normal ter alimentos feitos sem glúten. Para já é ainda raro. Há que mudar o paradigma", alertou.

Fonte: Por Lusa


terça-feira, 13 de maio de 2014

Estudo revela 17 substâncias químicas que potenciam o cancro da mama

O cancro de mama é a principal causa de morte por tumores malignos entre as mulheres.

Cientistas norte-americanos identificaram as substâncias químicas mais cancerígenas presentes no ambiente quotidiano das mulheres e alerta que estas devem evitá-los para diminuir o risco de cancro de mama, uma pista que consideram importante para a prevenção da doença.

O estudo, publicado na segunda-feira (12-05) na revista Environmental Health Perspectives, confirma que os produtos químicos que provocam tumores cancerígenos nas glândulas mamárias dos ratos também estão vinculados ao cancro de mama nos seres humanos.

O estudo elaborou uma lista de 17 substâncias cancerígenas prioritárias porque provocam tumores mamários nos animais, às quais muitas mulheres estão expostas.

São produtos cancerígenos presentes na gasolina, no gasóleo e em outras substâncias emanadas pelos veículos, assim como ignífugos, tira-nódoas, solventes, corrosivos de pinturas e derivados de desinfetantes usados no tratamento de água potável, entre outros.

"Esta investigação fornece elementos para prevenir o cancro de mama identificando produtos químicos prioritários aos quais as mulheres estão expostas com mais frequência e mostra também como controlar esta exposição", explica o médico Ruthann Ruden, diretor de pesquisa no instituto Silent Spring de Newton (Massachusetts), coautor do estudo.

As investigações realizadas até agora sobre o cancro de mama não levavam em conta a exposição de mulheres a uma grande quantidade de produtos químicos, sobretudo pela falta de informação sobre os produtos que deveriam ser analisados.

"Todas as mulheres nos Estados Unidos estão expostas a substâncias químicas que podem aumentar o risco de cancro de mama, mas lamentavelmente este vínculo é amplamente ignorado", comentou Julia Brody, diretora-geral do Silent Spring Institute e co-autora do estudo.

"Reduzir a exposição aos produtos químicos tóxicos pode salvar a vida de muitas mulheres", considerou, acrescentando que "quando se fala de cancro de mama, não se pensa no risco que as substâncias químicas representam".

Finalmente, lamenta a pesquisadora, "os fundos direcionados à investigação sobre a relação entre o cancro de mama e os produtos químicos no ambiente só representam uma parte ínfima do total".

"É imprescindível que as indústrias e os governos atuem para reduzir a exposição às substâncias mais perigosas", insistiu Kristi Marsh, autora de uma obra sobre o tema chamada "Little Changes".

Marsh foi diagnosticada com cancro de mama aos 35 anos.

Os Institutos Nacionais da Saúde (NIH) irão incorporar recomendações do estudo ao mesmo tempo em que se preparam para testar amostras mamárias de 50 mil mulheres no âmbito de uma investigação sobre irmãs para determinar as causas do cancro de mama.

O cancro de mama é a segunda causa de mortalidade por tumor maligno entre as mulheres nos Estados Unidos, com 40.000 falecimentos estimados em 2014 e 232.670 novos casos diagnosticados, segundo dados do Instituto Nacional do Cancro, que estima que 2,89 milhões de mulheres sofrem atualmente da doença.

O estudo supracitado elenca ainda sete maneiras de evitar a exposição aos químicos prejudiciais:

- Use ventição enquanto cozinha e limite as quantidades de comida queimada ingerida.

- Limite a exposição a gases poluentes, como os emanados pelos veículos e combustíveis dos mesmos.

- Não compre mobília com espuma de poliuretano.

- Evite tapetes resistentes a manchas assim como tecidos semelhantes.

- Se fizer limpezas a seco, peça uma que não contenha percloroetileno ou outros solventes.

- Use um filtro de água potável em bloco de carbono sólido.

- Mantenha produtos químicos fora de casa: deixe, por exemplo, os sapatos à porta e troque os químicos de limpeza por panos e esfregonas.

Por SAPO Saúde com AFP

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Comer mais fruta e vegetais diminui risco de AVC

Aumentar o consumo de fruta e vegetais pode ajudar a reduzir o risco de acidente vascular cerebral (AVC) em até um terço.

A conclusão resulta de uma análise feita por um grupo de investigadores chineses que trabalharam na revisão de uma série de estudos sobre esta temática e obtiveram evidências que reforçam a importância de um regime alimentar rico em verduras.

Com o objetivo de compreender melhor a relação entre o AVC e a inclusão deste tipo de alimentos na dieta, os especialistas do Hospital Municipal de Qingdao e da Faculdade de Medicina da Universidade de Qingdao, na China, efetuaram a revisão de 20 estudos que se debruçaram sobre 16.981 casos de AVC e envolveram 760.629 pessoas.

Os cientistas concluíram que aqueles que consumiam mais fruta e vegetais apresentavam um risco 21% menor de vir a sofrer um acidente vascular cerebral do que os restantes. Por cada 200 gramas diários de fruta ingerida, o risco de AVC diminuía 32%, ao passo que por cada 200 gramas de vegetais caía 11%.

"Estas descobertas são consistentes com as informações atuais que apontam para a necessidade de encorajar um maior consumo de fruta e vegetais com vista a prevenir acidentes vasculares cerebrais", afirma Yan Qu, coordenador do estudo, numa entrevista por e-mail à agência Reuters.

A análise realizada permitiu ainda aos investigadores apurar os vegetais e frutos mais benéficos: as frutas cítricas, os vegetais folhosos, as maçãs e as pêras foram os que surgiram com mais frequência associados a um menor risco de AVC. "O efeito de outros tipos de fruta e vegetais [no risco de AVC] necessita ainda de ser confirmado", alerta Qu.

Segundo os investigadores, ainda não foi possível apurar por que razões a fruta e os vegetais ajudam a reduzir este risco, embora o facto possa estar associado a outros aspetos da vida do participantes - por exemplo, pessoas que comem mais fruta e vegetais podem ter rotinas que são, em geral, mais saudáveis.

De acordo com Qu, os efeitos poderão, portanto, ser indiretos, e o consumo de fruta e vegetais pode ser benéfico para a saúde através da redução da pressão arterial, do colesterol, do peso e de outros fatores do risco do AVC, sendo também possível que nutrientes específicos neste tipo de alimento contribuam para o processo protetor.

Fonte: boasnoticias.sapo.pt

Somatoline agora também para Homem! Abdominais Definidos!


Somatoline Homem Abdominais Definidos!
Tonifica e reduz a zona abdominal!

Somatoline Homem Abdominais Definidos ajuda a tonificar e a reduzir a zona abdominal em 4 semanas. É ideal para a prática desportiva. Rápida absorção.

Somatoline Homem Abdominais Definidos é uma fórmula adaptada à atividade desportiva, é resistente à água e ao suor.

É um cosmético de fácil absorção, que reduz e ajuda a definir os músculos abdominais e a tonificar a pele da zona abdominal.

É tonificante e refirmante graças ao extrato de gengibre. É também hidratante devido ao extrato de quinoa, lecitina e glicerina.

Contém também um complexo exclusivo ativo enriquecido com cafeína e carnitina, que através da aplicação de massagem, ajuda a reduzir o armazenamento da gordura localizada na superfície e tecidos.

Resultados: Testes realizados em 38 homens com gordura localizada na região abdominal, têm demonstrado que através da aplicação do gel/creme, com uma massagem:
- Reduz a gordura localizada em apenas quatro semanas;
- Tonifica o tecido da pele da região abdominal em 27% (valor médio) em 4 semanas.

Não deixa resíduos. Não engordura. Pode vestir-se imediatamente após a aplicação.

Indicação: Redução de gorduras localizadas dos homens.

Recomendado para: Homens ativos entre os 25 e os 55 anos que pretendem reduzir a gordura localizada.

Ingredientes: 
- Ação redutora - extrato de café verde, extrato de guaraná, caobromina, cafeína, algas marinhas micronizadas, carnitina, chá preto e erva-mate, bio flavonoides cítricos.
- Ação elastizante e tonificante – creatina, extrato de gengibre, extrato de Kigelia africana
extrato de quillaja saponária.
- Ação refrescante – mentol, mentil lactato.
- Antioxidante - Bioflavonoides cítricos
- Outros ingredientes - ethil nicotinado, polimero hodrofóbico.

Temos também o Somatoline Homem Cintura e Abdomen Intensivo Noite10

terça-feira, 22 de abril de 2014

Café Verde com Svetol: Emagrecer sem cafeína!

O Green Coffee é um fat burner sem cafeína!

Svetol é uma marca registada de Café verde, que possui uma elevada padronização e estabilização em ácidos clorogénicos.

Melhora a relação massa magra massa gorda em que, especificamente, os ácidos clorogénicos podem reduzir a absorção da glicose a nível intestinal até 50%.


Café Verde 
O extracto de café verde tem mostrado ter efeito contra o aumento do peso corporal e a acumulação de gordura, principalmente no fígado e na zona abdominal. Este extracto de café diminui a concentração de glicose pós-prandial e a absorção da mesma no intestino.
Na identificação dos constituintes activos do café, salientou-se a presença dos ácidos clorogénicos, em especial o ácido 5-cafeoilquínico, que reduz a absorção de glicose pelo intestino e inibe a actividade da glucose-6-fosfatase2 (enzima que, no fígado, hidrolisa o glicogénio em glicose).
Pela inibição desta enzima, a concentração de açúcar no sangue baixa, prevenindo a acumulação subsequente de gordura.

O Svetol é um extracto de Café verde descafeinado, que contém um alto teor de ácidos clorogénicos e ácido 5-cafeoilquínico.
Graças a uma composição eficaz e segura, Svetol permite diminuir os factores de risco de complicações relacionadas com a hiperglicémia pós-prandial, isto é, o aumento do nível de açúcar no sangue, após as refeições. A acção adelgaçante do Svetol foi confirmada em estudos clínicos, que mostraram uma redução em média de 50% na concentração de açúcar no sangue; uma significativa redução do peso corporal e um aumento da relação massa magra massa gorda mostrando assim que favorece a utilização da gordura corporal.
Estas perdas de peso e de massa gorda confirmam a acção “queimadora de gordura” de Svetol.
Desta forma surge uma nova geração de elementos queimadores de gordura, que se distancia dos efeitos termogénicos dos estimulantes como a cafeína, e permitem não só uma diminuição do peso corporal, como evitam a acumulação de gordura periférica, sem apresentar contra-indicações ao nível cardíaco.
De referir ainda que a presença de diferentes formas de ácidos cafeicos e ácidos aromáticos em Svetol contribuem para o aumento da capacidade antioxidante celular e, deste modo, ajuda a limitar o envelhecimento celular.

Green Coffee ajuda a:
- Acelerar o metabolismo e a queimar gorduras;
- Na redução das medidas corporais (barriga, coxas e glúteos);
- No combate à celulite e gordura localizada;
- Conseguir níveis saudáveis de açúcar no sangue;
- Prevenir o envelhecimento da pele.

Svetol é um extrato de Café Verde descafeinado.

Como Suplementos recomendamos:
Green Coffee com Svetol Nutridil
Extreme Cut Green com Svetol Goldnutrition

Os benefícios do mirtilo na saúde


O Mirtilo possui um valor nutritivo indiscutível; é um fruto conhecido pela sua riqueza em diversas vitaminas como a A, B, C e PP, possuindo ainda sais minerais, magnésio, potássio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, açucares, pectina, tanino, ácidos cítrico, málico e tartárico.
Conhecido como o rei dos antioxidantes e o fruto da juventude, o Mirtilo está no topo dos alimentos com maior teor de antioxidantes, ultrapassando as vantagens de outros vegetais como repolhos, espinafres e brócolos.
O Mirtilo é aceite como uma planta medicinal, da qual se podem usar quase todas as partes da planta, flores, folhas, fruto e raízes.


O mirtilo é uma das maiores fontes de antioxidantes que temos ao nosso dispor, com a vantagem de nos ser apresentado em doses fisiológicas, ou seja, às quais o nosso organismo está habituado.
Com um potencial antioxidante superior ao da maioria dos frutos e legumes mas também do vinho tinto e do chá verde, o mirtilo tem sido associado à prevenção de patologias como a hipertensão, diabetes tipo II, doenças cardiovasculares e vários tipos de cancro.
Também na diminuição do declínio cognitivo associado ao envelhecimento e na diminuição dos danos cerebrais em vítimas de AVC o mirtilo tem efeitos positivos e comprovados cientificamente.

BENEFÍCIOS DO MIRTILO

  • Devido à sua riqueza em anti-oxidantes, previnem doenças cardiovasculares, vários tipos de cancro (nomeadamente o cancro do cólon), atenuam processos relacionados com o envelhecimento (como cataratas e doença de Alzheimer) e outras alterações do sistema nervoso (excelente antídoto para a depressão);
  • Alivia sintomas de infecções urinárias e renais, impedindo a fixação e o desenvolvimento da E. Coli, bactéria preferencialmente causadora de infecções no tracto urinário;
  • Apresenta um efeito inibitório na agregação plaquetária inibindo assim a formação de coágulos sanguíneos;
  • Ajudam a combater a memória de curto prazo e reforça a memória dos idosos;
  • Protegem contra a degeneração relacionada com o envelhecimento das vistas, melhorando a visão nocturna e reduzindo a vista cansada devido às concentrações muito elevadas de antocianinas que possuem, sendo excelentes para prevenir cataratas e retinopatias dos diabéticos;
  • Reduz inflamações do aparelho digestivo e regula o trânsito intestinal devido à sua riqueza em fibras e propriedades anti-sépticas, apresentando propriedades laxantes quando consumidos em fresco e auxiliam o tratamento da diarreia quando consumidos em seco;
  • Indicados para dietas para hipertensão arterial, pela ausência de sódio e colesterol.
  • Fortes propriedades anti-inflamatórias pela sua riqueza em antocianinas;
  • Ajudam a baixar o nível do mau colesterol (LDL);
  • Protege a pele dos radicais livres, ajuda a fixar a vitamina A e acelera a cicatrização.

    Os Mirtilos têm no entanto algumas contra indicações. Devido ao alto teor em taninos não devem ser consumidos durante mais de 3 meses, nem folhas nem frutos, podendo causar irritação do estômago e intestinos, sobretudo se existirem problemas de gastrites ou úlceras.
Fonte: Pedro Carvalho (Assistente Convidado na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto)

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Mangostão: Efeito anti-cancerígeno e anti-envelhecimento!

Utilizado há milhares de anos em vários países do sudoeste asiático como a Indonésia, Tailândia, Malásia e Filipinas, o mangostão é um fruto com acção coadjuvante no tratamento de várias patologias, incluindo o cancro.

Em 2009, três estudos demonstraram várias vantagens na utilização do mangostão como complemento da quimioterapia em pacientes com cancro.

No Free Radical Research, reduziu a toxicidade renal induzida pelo quimioterápico cisplatina. No Anticancer Research, diminuiu o crescimento do tumor e proliferação de metástases no cancro da mama. No Journal of Medicinal Food, demonstrou estimular a proliferação de linfócitos T.

Princípios activos:
- O mangostão contém xantonas, que proporcionam uma acção antioxidante, antitumoral, anti-inflamatória, antiviral, antifúngica e antibiótica

- Contém ácido hidrocicítrico, que aumenta a sensação de saciedade e auxilia na eliminação de gorduras, prevenindo o aumento do colesterol

- As quinonas têm uma acção semelhante às tetraciclinas (antibióticos)

- Os fenóis têm propriedades antimicóticas

- As catequinas e estilbenos são antioxidantes

- É rico em várias vitaminas e minerais


Propriedades:
- Como é anti-inflamatório, pode ser utilizado no tratamento e prevenção não só de doenças reumáticas, mas de outras patologias que têm na inflamação um factor etiológico ou agravante, como a diabetes ou a disfunção endotelial, que conduz a várias patologias cardiovasculares.

- Na diabetes, diminui ainda a resistência à insulina e reduz o apetite.

- Tratamento anti-envelhecimento, devido ao elevado conteúdo de antioxidantes.

- Estimulante do sistema imunitário, prevenindo gripes e constipações.

- Tradicionalmente, utiliza-se para patologias do sistema digestivo como dor abdominal, diarreia e úlceras crónicas.

Normalmente utiliza-se em xarope, 2 a 4 colheres de sopa por dia, 15 minutos antes das refeições.

Sumo anti-envelhecimento:
Junte meia papaia, 4 colheres (sopa) de frutos do bosque, meio limão, duas maçãs e ½ copo de sumo de mangostão.
Coloque na liquidificadora e beba antes do pequeno-almoço.

Fonte: Revista Prevenir
A nossa sugestão vai para:
Mangosteen Plus com Clorofila 
Mangosteen Pague 1 leve 2
Mangostão Extracto Concentrado
Mangosteen + Graviola

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Porque é que o chocolate preto nos faz bem?

Se adora chocolate negro, e tem medo de engordar, não se preocupe. Os cientistas já perceberam que comer este tipo de chocolate não só não engorda, como ainda lhe faz bem ao coração.

A informação foi avançada pelo jornal ‘Daily Mail’, e revela que os micróbios do nosso estômago libertam micróbios que transformam o cacau numa droga natural que reduz a pressão do sangue.

O estudo foi avançado pela Universidade do Louisiana, e conclui: “Descobrimos que temos dois tipos de micróbios no estômago, os bons e os maus. Os bons, como as bífido-bactérias as bactérias acido-lácteas, alimentam-se de chocolate. Quando comemos o chocolate, essas bactérias crescem e fermentam-no, produzindo compostos anti-inflamatórios.

Esta mistura anti-inflamatória entra na corrente sanguínea, e ajuda a proteger o coração e artérias de qualquer dano.

Já as más bactérias, como a Clostridia ( responsável pelo tétano) e algumas variantes da E-coli, provocam inflamações, diarreia e constipação.

Para chegar a uma conclusão definitiva, a equipa de investigadores testou três tipos de cacau em pó, que se usa para criar o chocolate.

O cacau contém um antioxidante polifenólico, como a catequina e a epicatequina. Estes antioxidantes estão presentes na maioria dos vegetais, e em muitos frutos, e fazem bem à saúde de diversas formas. A catequina é um fitonutriciente conhecido por ajudar a combater e evitar a diabetes, infecções virais, inflamações, e até o cancro. Também é defendida a teoria de que ajuda a combater o envelhecimento.

“No nosso estudo descobrimos que a fibra do chocolate é fermentada e os polímeros polifenólicos são divididos em células mais pequenas, que são mais facilmente absorvidas”, disse o Dr. John Finley, líder da equipa da Universidade do Louisiana.

“Quando estes compostos são absorvidos pelo corpo, diminuem a inflamação do tecido cardiovascular, e reduzem a longo prazo o risco de um ataque cardíaco”, diz.

Fonte: Revista Sabado

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Chá verde fortalece cérebro e pode combater demência


Os benefícios do chá verde para a saúde têm desencadeado um interesse crescente por parte dos cientistas e um grupo de investigadores suíços acaba de descobrir mais um: os extratos deste tipo de chá melhoram as funções cognitivas, em particular a memória funcional, tendo potencial para ajudar a tratar distúrbios neuropsiquiátricos como as demências.

O papel do chá verde foi já amplamente estudado ao nível do cancro e, mais recentemente, os especialistas começaram a tentar analisar os possíveis efeitos positivos desta bebida no cérebro humano, concluindo que o mesmo oferece vantagens relacionadas com o incremento da performance cognitiva.

Porém, os mecanismos neuronais associados a esta melhoria continuavam por esclarecer, mecanismos esses que uma equipa da Universidade de Basileia, na Suíça, agora desvendou, como comprova um estudo publicado em Março na revista científica internacional Psychopharmacology.

Christoph Beglinger e Stefan Borgwardt, daquela universidade suíça, descobriram que os extratos de chá verde aumentam a eficiência do cérebro em termos de conectividade, um aspeto que tem a ver com a influência causal que as áreas deste órgão exercem umas sobre as outras.

Este aumento de eficiência traduz-se em melhorias concretas em termos de performance cognitiva: depois de ingerirem uma bebida contendo extratos de chá verde, os voluntários, todos eles saudáveis e do sexo masculino, desempenharam com maior sucesso alguns exercícios de memória.

Para observar as alterações verificadas no cérebro, Beglinger e Borgwardt submeteram os voluntários à realização de ressonâncias magnéticas. Os exames demonstraram uma maior conectividade entre o córtex parietal e o córtex frontal do cérebro, o que resultou num melhor desempenho por parte dos participantes no estudo.

"As nossas descobertas sugerem que o chá verde pode aumentar a plasticidade sináptica do cérebro a curto-prazo", afirma Borgwardt num comunicado divulgado pela instituição de ensino universitário.

Segundo os especialistas, a investigação poderá ajudar a apurar a eficácia que o chá verde pode ter ao nível do tratamento de problemas cognitivos, nomeadamente das demências, ao fornecer uma hipótese de modelar a conectividade entre as duas regiões do cérebro nas quais os benefícios se fizeram sentir.

Fonte: boasnoticias.sapo.pt